Skip to main content

Ordenação Presbiteral

Seis novos padres para a Diocese de Campo Limpo

A celebração contou com a presença de grande parte do clero diocesano, e padres e diáconos amigos, seminaristas, fiéis e diversas paróquias da diocese, além de familiares dos neo-sacerdotes.
 |  Andrea Rodrigues  |  Diocese
Fotos: Arquivo Diocesano

Na manhã do dia 5 de agosto, aconteceu na Catedral Sagrada Família a Santa Missa de Ordenação Presbiteral de seis novos padres. Foram ordenados pela imposição das mãos de Dom Valdir José de Castro, ssp, os diáconos: Isael dos Santos Rodrigues, Lucas Barboza Oliveira, Maciel de Sousa Mesquita, Otávio Augusto O. Freitas, Robson José da Silva e Wellington Eduardo Calixto Miguel.

A Celebração contou com a presença do grande parte do clero diocesano, além de padres e diáconos amigos, seminaristas, fiéis de diversas paróquias da Diocese, e os familiares dos neo-sacerdotes, todos unidos em oração por aqueles a quem Deus tem confiado suas ovelhas.

Como segundo grau da Ordem, a ordenação presbiteral ou sacerdotal é constituída por seis partes: eleição do candidato; homilia; propósito do eleito; ladainha; imposição das mãos e prece de ordenação; unção das mãos e entrega da patena e do cálice.

Homilia

Todos os seis candidatos estavam visivelmente emocionados e depois da eleição dos candidatos, quando todos já estavam sentados no presbitério, e as leituras já haviam sido proclamadas, em sua homilia Dom Valdir falou diretamente aos diáconos. “Hoje é um dia de alegria, vocês receberão a ordenação presbiteral, e tem um trecho do documento Presbyterorum Ordinis, documento do Vaticano II segundo sobre a vida e o ministério do sacerdote, que diz: “pela unção do Espírito Santo, vocês são - ou serão daqui a pouco – assinalados com um caráter especial e assim configurados a Cristo sacerdote, de forma a poderem agir na pessoa de Cristo cabeça”.

Continuou: “E a exortação apostólica Pastores Dabo Vobis, diz que cada um de vocês, de nós sacerdotes, terão a missão de anunciar a Palavra de Deus, animar e guiar a comunidade. Quando responsabilidade! Quero ainda destacar alguns aspectos da identidade do padre, que precisa em primeiro lugar configurar-se a Cristo. Mas o que isso significa? Primeiro, estar unido a Cristo, assumindo a identidade de Jesus. Ser homem de oração, sem oração nós não nos configuramos a Cristo, é preciso dar tempo ao Senhor, mesmo em meio a agitação. Segundo, está muito ligado ao primeiro: meditar a Palavra. Se a Palavra não está em nós, o que transmitiremos? Terceiro, ser ministro dos sacramentos, sendo o sinal de Deus e da misericórdia no meio do povo, entre os presbíteros. Não devemos apenas presidir a Eucaristia, mas ser Eucaristia, a liturgia deve levar os irmãos a pessoa de Cristo”.

Propósito dos Eleitos

Após a homilia, os eleitos, em pé, responderam às interrogações feitas pelo bispo com um decidido “Quero!”. Dom Valdir concluiu, dizendo: “Deus, que te inspirou este bom propósito, te conduza sempre mais à perfeição”.

Imposição das mãos e Prece de Ordenação

Esta parte decorrente é tida como aquela que, no silêncio do coração, o bispo e todos os presbíteros presentes pedem a Deus pelos ordenados. De joelhos, em silêncio, receberam a imposição das mãos do bispo sobre suas cabeças, gesto marcante da ordenação, e, posteriormente, de todos os mais de cem presbíteros presentes.

Ordenação1
Dom Valdir impõe as mãos sobre um dos neo-sacerdotes. — Imagem: Arquivo Diocesano.

Unção das mãos

No momento seguinte, foram revestidos com a estola sacerdotal e a casula. Em seguida, de joelhos, foram ungidos pelo Bispo com o óleo do Santo Crisma. Logo após, o bispo amarrou as mãos dos ordenados, sendo desamarrados por quem iria receber a primeira bênção sacerdotal.

Como sinal de unidade, os presbíteros receberam os ordenados como membros do clero. Cada sacerdote presente beijou as mãos ungidas e acolheram com um abraço e palavras de carinho cada um deles, nesse momento houve muita emoção.

Agradecimentos

Antes dos agradecimentos, Dom Valdir revelou o destino de cada um dos neo-sacerdotes, todos com ofício de vigário paroquial: Isael, na paróquia São Francisco de Assis, forania São José, Lucas, na paróquia São Luis Gonzaga, forania Mirim-Guaçu, Maciel, na paróquia Santos Mártires, forania M’Boi Mirim, Otávio, na paróquia Maria Mãe da Igreja, forania M'Boi Mirim, Robson, atuará na paróquia Santo Antônio, forania São José e Wellington na paróquia Cristo Libertador, forania M’Boi Mirim, onde já atuava como cooperador do pároco.

Após a celebração, o neo-sacerdote Maciel proferiu as palavras de agradecimento em nome de todos que ali estavam sendo ordenados, aos dois bispos eméritos, Dom Emílio Pignoli e Dom Luiz Antônio Guedes, que os acolheu no seminário e Dom Valdir que presidiu a celebração, a todos os familiares, amigos e ao povo de Deus que rezou e compareceu à cerimônia.

Um almoço para os neo-sacerdotes, seus familiares e os presbíteros presentes foi oferecido, participaram 300 pessoas.

Primeiras missas

Na tarde do mesmo dia, os seis padres participaram da primeira missa do padre Robson José, na matriz da paróquia Nossa Senhora da Providência, forania Morumbi. Ladeado pelo pároco, Antônio Alexandre de Oliveira, e trêmulo de emoção, o neo-sacerdote não poderia estar mais feliz. No domingo e nos dias que se seguiram, os novos padres combinaram entre si de participaram da primeira missa de cada um.


Notícias Relacionadas

Ordenação Presbiteral: Dois novos padres para a Igreja de Campo Limpo

Pela imposição das mãos de Dom Luiz Antônio Guedes, dois novos sacerdotes foram ordenados no dia 05 de junho na Catedral Diocesana Sagrada Família.

Ordenados três diáconos permanentes para a diocese de Campo Limpo

Nos últimos dois meses de 2018 foram ordenados, em suas respectivas paróquias, três novos diáconos permanentes para a Diocese de Campo Limpo, pela imposição do Bispo diocesano Dom Luiz Antônio Guedes. O primeiro deles foi Pedro Schimckler, no dia 1º de novembro, dia de Todos os Santos, na igreja...

Dom Luiz ordena cinco novos diáconos e um presbítero para Igreja local

Na Festa de Nossa Senhora do Rosário, a Igreja ganhou cinco diáconos e um padre. A cerimônia presidida por Dom Luiz Antônio Guedes contou com numerosa participação de fiéis e a presença do Mons. Valdir José de Castro, bispo eleito para a Diocese de Campo Limpo.